MORTE E VIDA SEVERINA NA ATUALIDADE



se somos Severinos

iguais a tudo na vida,

morremos de morte igual,

mesma morte severina:

que é a morte que se morre

de velhice antes dos trinta,

de emboscada antes dos vinte,

de fome um pouco por dia

(de fraqueza e de doença

é que a morte severina

ataca em qualquer idade,

e até gente não nascida).

(trecho do poema Morte e vida severina

de João Cabral de Melo Neto)


A morte antes dos trinta chega em locais já definidos, favelas, bairros esquecidos pelos que ali não habitam;


A velhice antes dos trinta só ocorre nestes locais, na áreas pouco sociais onde a infância é invertida;


A morte por emboscada, também tem lugar conhecido, ataca antes dos vinte e em qualquer labirinto; se embrenha por entre os barracos, geralmente com capuz no rosto, não pede licença, nem da adeus, pouco importa quem seja e a quem deu desgosto;


A fome também mata e como mata, mas não só a fome de comida. A fome de esperança talvez mate mais, dia a dia, hora a hora; a fome de comida vai embora quando alguém estende a mão, mas a fome de esperança, quem pode matar senão só eu!

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo